Governo da Nicarágua

Nicarágua sai da OEA após críticas à reeleição de Ortega

O chanceler Denis Moncada disse que seu país não teria presença “em nenhuma das instâncias desse instrumento diabólico da mal chamado OEA”.

nicaragua-sai-da-oea-apos-criticas-a-reeleicao-de-ortega
Presidente da Nicarágua, Daniel Ortega (Crédito: Spencer Platt/Getty Images)

O governo da Nicarágua afirmou nesse domingo (24), que saiu da Organização dos Estados Americanos (OEA) após receber críticas a reeleição do presidente Daniel Ortega no ano passado de ilegítima. A saída aconteceu dois anos antes do previsto. Além disso, segundo o governo nicaraguense eles também fecharam o escritório local da OEA e revogaram as credenciais de vários representantes da organização.

Publicidade

O processo de 35 membros para deixar a OEA começou em novembro, depois que Ortega se elegeu para o quarto mandato consecutivo. Durante a eleição existiu uma preocupação internacional, pois Ortega criminalizava a dissidência que é o ato de discordar de uma política oficial. Os Estados Unidos e a União Europeia também chamam a eleição de ilegítima e pressionam para que seja realizada uma nova eleição e para que o presidente liberte mais de 160 prisioneiros.

De acordo com O Globo, em um discurso no domingo (24), o chanceler Denis Moncada disse que seu país não teria presença “em nenhuma das instâncias desse instrumento diabólico da mal chamado OEA”. O embaixador da Nicarágua na OEA, no mês passado fez uma série de acusações ao governo de Ortega, como de reprimir a oposição política, abusar dos direitos humanos e reprimir a liberdade de expressão.

“A Venezuela apoia a decisão do governo da Nicarágua de se retirar da OEA.”

Publicidade