RACISMO

Parque de diversões passa a incluir diversidade no treinamento de funcionários após episódio de racismo com crianças

Empresa anunciou que contratará especialistas em direitos civis para ajudar a criar programa de treinamento com funcionários.

Família da criança discriminada está com um processo aberto contra o parque (Créditos: Spencer Platt/Getty Images)

O parque Sesame Place, ambientado na Vila Sésamo, nos EUA, anunciou em seu Instagram nessa terça-feira (9) que irá se comprometer mais com a diversidade e respeito após a repercussão de um episódio de racismo envolvendo um funcionário fantasiado e duas crianças negras. O Sesame Place recebeu um processo milionário pelo ocorrido.

Publicidade

O episódio citado ocorreu no dia 18 de julho, um domingo, enquanto uma família visitava o Sesame Place com duas crianças. Durante um desfile dos mascotes pelo parque, a mãe das meninas filmou o momento em que elas se aproximam para cumprimentar um personagem, mas esse gesticula e diz ‘não’ para elas e logo em seguida abraça uma criança branca.

Como era de se esperar, o vídeo viralizou nas redes sociais do mundo todo. A família está atualmente com um processo no valor de U$25 milhões contra o parque por discriminação racial.

O parque então anunciou que trará profissionais em direitos civis para ajudar a treinar seus empregados e impedir que situações de racismo como as que aconteceram com essas crianças se repitam no futuro.

Publicidade

Hoje nós anunciamos uma série de iniciativas compreensivas como parte da expansão do nosso comprometimento com a diversidade, igualdade e inclusão. Incluindo a avaliação de igualdade racial, o desenvolvimento e implementação de um programa de treinamento e educação sem viés e melhorias para garantir o mais excelente programa de diversidade, igualdade e inclusão“, diz a nota do parque.

 

Publicidade