Sanções à Rússia têm ferido máquina de guerra, diz chefe da Otan

Declaração foi feita durante encontro com o chanceler alemão Olaf Scholz

sancoes-a-russia-tem-ferido-maquina-de-guerra-diz-chefe-da-otan
O secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, fala durante uma reunião de imprensa antes de uma reunião conjunta com a ministra das Relações Exteriores Annalena Baerbock no Ministério das Relações Exteriores em 17 de março de 2022 em Berlim, Alemanha. (Crédito: Andreas Gora – Pool/Getty Images)

O secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), Jens Stoltenberg, afirmou nesta quinta-feira (17) que as sanções elaboradas pelo Ocidente têm “ferido a máquina de guerra” da Rússia na Ucrânia.

Publicidade

As declarações foram feitas em Berlim, na Alemanha, onde o secretário da Otan teve um encontro com o premiê Olaf Scholz. Stoltenberg agradeceu os esforços do chanceler alemão para encontrar uma solução diplomática para a guerra, incluindo contatos diretos com o presidente russo Vladimir Putin.

“As sanções severas estão ferindo essa máquina de guerra, e eu agradeço a Alemanha pelo papel importante que vêm exercendo nas sanções. A Alemanha está protegendo os aliados da Otan — com mais tropas na Lituânia, caças na Romênia e embarcações de patrulha”, declarou.

Segundo ele, a Otan está “determinada a impedir que a guerra na Ucrânia aumentar ainda mais”, já que “a guerra do presidente Putin ameaça a paz”. “A Otan tem a responsabilidade de evitar que este conflito se agrave ainda mais. Isso seria ainda mais perigoso e causaria mais sofrimento, mortes e destruição”, acrescentou Stoltenberg.

Tradução do post de Jens Stoltenberg no Twitter: ”Visita oportuna a Berlim para consultar Olaf Scholz e outros líderes políticos alemães sobre a brutal invasão da #Rússia na #Ucrânia. Recomendo o apoio da #Alemanha à Ucrânia, sua liderança e compromisso com a #OTAN neste momento decisivo para a segurança europeia.”

Publicidade

Entenda a invasão da Rússia na Ucrânia

O presidente Vladimir Putin ordenou uma invasão na Ucrânia, na quinta-feira (24). Desde então, o exército russo faz ofensivas por terra, ar e mar contra pontos estratégicos ucranianos, incluindo a capital Kiev e Kharkiv, segunda maior cidade do país.

Militares russos também conquistam terreno no sul da Ucrânia. Pelo menos uma cidade portuária, Kherson, já foi tomada por eles.

Publicidade

Um dos fatores que desencadeou o conflito foi a possibilidade da Ucrânia entrar na OTAN, aliança militar do Ocidente. Uma das demandas da Rússia nas negociações sobre a guerra é que a Ucrânia se comprometa a nunca entrar na OTAN e na União Europeia. Moscou também exige que Kiev reconheça a independência das regiões separatistas de Donetsk e Luhansk, no leste ucraniano, e que a Crimeia faz parte da Rússia.

Putin argumenta que está realizando uma “operação especial” para proteger os russos que vivem em território ucraniano. Ao mesmo tempo, Putin também diz que a Ucrânia está sob controle estrangeiro e que não merece ser um país independente.

Publicidade