ECONOMIA, MEIO AMBIENTE E CORRUPÇÃO

Veja os principais pontos do discurso de Bolsonaro na ONU

Mantendo a tradição, presidente brasileiro discursou pela quarta vez na abertura da Assembleia Geral da ONU.

(Crédito: Getty Images)

Nesta terça-feira (20), o presidente e candidato à reeleição Jair Bolsonaro (PL) discursou na abertura da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York. Em uma fala de 20 minutos, o presidente abordou assuntos como economia, corrupção, ações sociais e realizou um balanço das principais realizações de seu governo.

Publicidade

Tradicionalmente, desde 1955, o Brasil é a primeira nação a discursar na abertura da Assembleia da ONU. Este é o quarto discurso de Bolsonaro no evento desde 2019 e seu primeiro na condição de candidato à presidência do Brasil.

O presidente brasileiro iniciou sua fala defendendo o sucesso do país no combate à pandemia da Covid-19. “Não poupamos esforços para salvar vidas e preservar empregos”, afirmou. Ele ainda destacou que a maioria da população brasileira foi vacinada contra a doença “de forma voluntária e respeitando a liberdade individual de cada um”.

Bolsonaro também aproveitou o discurso para realizar um balanço da economia, dizendo que a inflação está em baixa e que a pobreza no país cai de forma acentuada: “Apesar da crise mundial, o Brasil chega ao final de 2022 com uma economia em plena recuperação. Temos emprego em alta e inflação em baixa. A economia voltou a crescer. A pobreza aumentou em todo o mundo sob o impacto da pandemia. No Brasil, ela já começou a cair de forma acentuada”.

Buscando desfazer a imagem negativa que o país tem no exterior no que diz respeito ao meio ambiente, Bolsonaro destacou ações de seu governo em favor do desenvolvimento sustentável. Ele afirmou que a Amazônia brasileira, “área equivalente à Europa Ocidental”, tem mais de 80% da floresta ainda “intocada”.

Publicidade

No âmbito social, o presidente falou sobre a situação das mulheres no Brasil, elogiando a participação da primeira-dama Michelle Bolsonaro na sua gestão. “Quero também destacar aqui a prioridade que temos atribuído à proteção das mulheres. Nosso esforço em sancionar mais de 70 normas legais sobre o tema desde o início de meu governo, em 2019, é prova cabal desse compromisso”, disse.

Faltando duas semanas para o primeiro turno das Eleições 2022, Bolsonaro também criticou o ex-presidente e candidato Luiz Inácio Lula da Silva (PT), dizendo que a corrupção sistêmica foi “extirpada” em sua gestão. Ele afirmou que nos anos de administrações do PT, a Petrobras atingiu um alto endividamento devido a “loteamento político e desvios”.  Sem citar o nome de Lula, o presidente fez uma referência ao seu adversário na disputa pela  Presidência, falando que o “responsável” foi condenado pela Justiça.

Durante o discurso na Assembleia da ONU, foram mencionados assuntos de interesse da comunidade internacional, como a Guerra na Ucrânia e as crises humanitárias na Venezuela e Nicarágua.  O presidente brasileiro pediu o cessar fogo imediato e a adoção de passos para alcançar uma solução que seja duradoura e sustentável para o conflito na Ucrânia. “Faço um apelo às partes, bem como a toda a comunidade internacional: não deixem escapar nenhuma oportunidade para pôr fim ao conflito e garantir a paz. A estabilidade, a segurança e a prosperidade da humanidade correm sério risco se o conflito continuar”, completou.

Publicidade