rebeldes curdos

Nove pessoas morrem após ataques do Irã no norte do Iraque

Estados Unidos acusam Teerã de estar descontando a culpa de seus problemas internos em questões fora de suas fronteiras.

Autoridades iraquianas ainda não conseguiram fazer a contagem oficial de mortos (Créditos: John Moore/Getty Images)

9 pessoas morreram e 24 outras ficaram feridas ataques feitos pela Guarda Revolucionária do Irã no norte do Iraque nesta quarta-feira (28). Os mísseis atingiram Koya, cidade iraquiana atualmente tomada por forças separatistas do Curdistão, nação insurgente que reúne separatismo tanto do Irã quanto do Iraque.

Publicidade

De acordo com a rede de TV Al Jazeera, autoridades iranianas estão acusando os curdos de incentivarem os recentes protestos no país e o ataque seria uma retaliação.

Ainda segundo a agência libanesa, o saldo de mortes dos ataques ainda deve aumentar quando as autoridades iraquianas conseguirem apurar a cena.

O bombardeio do Irã contra os curdos já duram 5 dias, tendo começado no sábado (24). Militantes do curdistão afirmam que os ataques ainda não cessaram.

O conselheiro de segurança nacional dos Estados Unidos, Jake Sullivan, afirmou em um pronunciamento que os ataques são uma agressão do Irã contra a soberania do Iraque. “O Irã não pode desviar a culpa por seus problemas internos e queixas legítimas da sua população em ataques além de suas fronteiras“, disse.

Publicidade

A segunda leva de bombardeios atingiu a cidade de Qala, onde a base do Partido Democrático do Curdistão Iraniano está instalada, segundo relatórios passados pelo partido para a Al Jazeera.