Pressionados

Três ministros deixam o cargo após protestos no Equador

O governo indicou que, ainda na tarde desta terça, o presidente fará uma cerimônia para formalizar os novos nomes que farão parte do Gabinete do Governo Nacional do Equador. 

Três ministros deixam o cargo após protestos no Equador
O presidente equatoriano, Guillermo Lasso (foto), enfrentou protestos que deixaram mortos e feridos pelo país (Crédito: Anna Moneymaker/Getty Images)

Três ministros e um secretário de governo apresentaram pedidos de renúncia ao presidente do Equador, Guillermo Lasso, nesta terça-feira (05). A informação veio da Secretaria-Geral de Comunicação da Presidência do país.

Publicidade

Entre os ministros, estão o da Economia, Simón Cueva; a da Saúde Pública, Ximena Gárzon; e o do Transporte, Marcelo Cabrera. O secretário Alejandro Ribadeneira trabalhava na pasta de Educação Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação.

O governo indicou que, ainda na tarde desta terça, o presidente fará uma cerimônia para formalizar os novos ministros que farão parte do Gabinete do Governo Nacional do Equador.  As renúncias acontecem poucos dias após o fim da greve nacional que enfrentava o país, que foi convocada pelos povos indígenas e durou 18 dias.

Na última quinta-feira (30), o presidente Guillermo Lasso assinou um acordo com a Confederação de Nacionalidades Indígenas do Equador (Conaie), a Confederação Nacional de Organizações Camponesas, Indígenas e Negras (Fenocin) e com as Organizações Indígenas Evangélicas do Equador (Feine), no qual as partes em conflito chegaram a alguns consensos, o que pôs fim às manifestações.

Publicidade