imbróglio eleitoral

Pros retira candidatura de Pablo Marçal e declara apoio a Lula

O empresário Pablo Marçal já havia antecipado que vai promover uma renúncia coletiva dos candidatos do Pros caso o presidente interino, Eurípedes Junior, retire sua postulação e “se curve ao PT”.

Pros retira candidatura e decide apoiar Lula
O advogado Bruno Pena (Pros), Eurípedes Jr., presidente do Pros, Geraldo Alckmin (PSB), vice da chapa de Lula, Aloizio Mercadante, coordenador do programa de governo do petista, e Felipe Espírito Santo, presidente da fundação do Pros. (Crédito: Divulgação)

O Pros formalizou, em convenção feita nesta segunda-feira (15), o apoio ao candidato à presidência Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no primeiro turno da eleição. A decisão ocorre dias depois de a sigla retirar a candidatura do empresário Pablo Marçal.

Publicidade

A revogação da candidatura já havia sido anunciada no dia 8 de agosto e  o empresário afirmava que não tinha cumprido o rito necessário.  Na ocasião, em entrevista exclusiva à Perfil Brasil, Marçal afirmou que “recorreria à ONU“. Marçal ainda está presente na lista oficial dos candidatos à presidência divulgada pelo tribunal nesta segunda-feira.

Marçal já havia antecipado que vai promover uma renúncia coletiva dos candidatos do Pros caso o presidente interino, Eurípedes Junior, retire sua postulação e “se curve ao PT”. O empresário afirmou que 60 por cento dos candidatos do partido atenderam a seu convite.Segundo Marçal, a saída em massa inviabilizará a eleição do Pros.
“Os 911 candidatos que vieram ao meu convite sairão do partido, isso inviabilizará todas as nominatas homologadas na convenção e será a última eleição do Pros”, afirma  Marçal.

Caso isso se confirme judicialmente, Lula chegará a ter o apoio de dez partidos  igualando o recorde histórico da ex-presidente Dilma Rousseff em 2010.

Publicidade