NOVO MEMBRO

Argentina formaliza pedido para aderir ao Brics

China já havia sinalizado apoio para adesão do novo país. Turquia e Irã também estão tentando se aproximar de Beijing.

Medida vem como parte do esforço de Fernández de reduzir divida externa argentina (Créditos: Ricardo Ceppi/Getty Images)

Alberto Fernández, presidente da Argentina, enviou uma carta, nesta terça-feira (20), para o presidente chinês Xi Jiping pedindo a adesão do país ao BRICS.

Publicidade

O embaixador da Argentina na China, Sabino Vaca Navaja, escreveu na carta: “Para nós, o grupo é uma excelente alternativa de cooperação diante de uma ordem mundial que se mostrou criada por e em benefício de poucos“.

O pedido faz parte de uma missão urgente do governo de Fernández de reduzir a dívida externa do país com o Fundo Monetário Internacional (FMI).

A campanha para entrar no BRICS, que atualmente é presidido pela China, já contou com visitas do presidente da Argentina à China e Rússia. No encontro do G20, em Bali, nesse ano, o governo chinês sinalizou que daria apoio para a entrada do novo membro.

Por parte da Rússia, assessores de Vladimir Putin já informaram que o presidente vê a expansão do bloco com bons olhos.

Publicidade

O BRICS, formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, funciona de forma informal, sem um regulamento e documentos oficializados. Portanto, a manutenção, a operação e a expansão do bloco dependem da vontade política dos membros.